Please use this identifier to cite or link to this item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/841
metadata.dc.type: Tese
Title: Museu-monstro: insumos para uma museologia da monstruosidade
metadata.dc.creator: Pires, Vladimir Sibylla
metadata.dc.contributor.advisor1: COCCO, Giuseppe
metadata.dc.contributor.advisor-co2: Szaniecki, Barbara Peccei
metadata.dc.contributor.referee1: Albagli, Sarita
metadata.dc.contributor.referee2: Capeller, Ivan
metadata.dc.contributor.referee3: Chagas, Mario de Souza
metadata.dc.contributor.referee4: Corsini, Leonora Figueiredo
metadata.dc.description.resumo: Estamos diante hoje de um novo paradigma produtivo, o cognitivo. Esta mudança faz emergir um conjunto de conceitos que problematizam o modo como analisamos o papel do museu na contemporaneidade. A hegemonia das dimensões imateriais do trabalho está no âmago dessa mudança paradigmática. Esta nova centralidade impõe desafios analíticos e metodológicos para a Ciência da Informação e para a Museologia. Diante disso, outra compreensão de museu se anuncia: não mais centrada em uma relação contratualista, mas atenta à produção do comum; não mais restrita ao edifício ou ao território, mas relacionada com uma rede de redes; não mais a serviço do desenvolvimento de um público ou população, mas uma ferramenta para a autonomia da multidão; não mais focada no objeto ou no patrimônio, como o conhecemos, mas em nossas dinâmicas infocomunicacionais. Um não-museu, um pós-museu para além dos modelos da “obra aberta” e dos “lugares de memória”. Um museu do acontecimental, do encontro entre praxis e poiesis. Um museu-monstro, da excedência criativa da multidão: diante de seu levante na contemporaneidade, uma museologia da monstruosidade?.
Abstract: We are facing now a new paradigm: the cognitive production. This change elicits a set of concepts that puts in problem the way we analyzed the role of the contemporary museum. The hegemony of immaterial dimensions of work is at the heart of this paradigm shift. This new centrality requires analytical and methodological challenges to the Information Science and Museology. Therefore, a new model of museum is announced: no more centered in a relationship focused on the social contract, but very attentive to the production of the common; no more restricted to the building or to the territory, but related to a network of networks; not more at the service of the development of a public or population, but a tool for the autonomy of the multitude; not focused more on the object or on our heritage, as we know, but in our communicational dynamics. A non-museum, a post-museum beyond the “open work” and the “sites of memory” models. A museum of the “acontecimental”, mixture of praxis and poiesis. A museum-monster of the creative exceedance of the multitude: in face of their uprising, a museology of monstrosity?.
Keywords: Ciência da Informação
Museologia
Capitalismo Cogntiivo
Multidão
Comum
Museu
Science Information
Museology
Cognitive Capitalism
Multitude
Common
Museum
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiro
metadata.dc.publisher.initials: IBICT/UFRJ
metadata.dc.publisher.department: Escola de Comunicação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/841
Issue Date: 16-May-2014
Appears in Collections:Teses e Dissertações do PPGCI IBICT-UFRJ

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Vladimir Sibylla_Final.pdf1,33 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons