Please use this identifier to cite or link to this item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/821
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorLima, Clóvis Ricardo Montenegro de-
dc.creatorMaia, Mariangela Rebelo-
dc.creatorMenezes, Vinícios-
dc.date.accessioned2016-04-20T18:38:17Z-
dc.date.available2016-04-20T18:38:17Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationLIMA, Clóvis Montenegro de; MAIA, Mariangela; MENEZES, Vinícios. Autogestão das fábricas recuperadas: uma leitura Habermasiana. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 15., 2014. Anais... Belo Horizonte: ANCIB, 2014. GT5, p.2599-2615.pt_BR
dc.identifier.issn21773688-
dc.identifier.urihttp://ridi.ibict.br/handle/123456789/821-
dc.description.abstractTrata-se de uma leitura habermasiana do projeto da sociedade da comunicação, tendo como perspectiva as ações autogestionárias e o caso latino americano das fábricas recuperadas, fundadas na sociedade do trabalho, mas que aqui objetiva-se repensá-las em face da orientação reconstrutiva do pensamento habermasiano e das ciências reconstrutivas. Discute-se a razoabilidade da autogestão no âmbito do agir comunicativo, diante do fato deste projeto ter uma forte conotação no projeto instrumental socialista de uma utopia do trabalho. São analisados os paradigmas da produção (trabalho) e da intercompreensão (comunicação), dando evidência ao estatuto ontológico associado a cada um deles. No projeto da sociedade do trabalho a ontologia instrumental de Luckács é paradigmática e no projeto reconstrutivo habermasiano os postulados ontológicos da comunicação são fundamentais para a argumentação aqui travada. Por fim, através da leitura habermasiana busca-se um acordo conciliador, reconstrutivo e comunicativo entre o projeto autogestionário vinculado às pretensões do mundo do trabalho e a utopia realista da sociedade da comunicação vinculada às pretensões do mundo da vida e seus desdobramentos humanísticos. Nesse contexto tensivo e reconstrutivo encontra-se a informação enquanto um medium entre os paradigmas da produção e da intercompreensão.pt_BR
dc.description.provenanceSubmitted by Ilce Cavalcanti (ilce@ibict.br) on 2016-04-20T18:38:17Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) GT5AnaisXV.pdf: 3664429 bytes, checksum: 2b435014f6c38c4e5217cbd9dcc49bf1 (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2016-04-20T18:38:17Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) GT5AnaisXV.pdf: 3664429 bytes, checksum: 2b435014f6c38c4e5217cbd9dcc49bf1 (MD5) Previous issue date: 2014en
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherANCIBpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAutogestão. Fábrica recuperada. Sociedade do trabalho. Sociedade da comunicação. Ontologia – linguagem.pt_BR
dc.titleAutogestão das fábricas recuperadas: uma leitura Habermasiana.pt_BR
dc.typeTrabalho apresentado em eventopt_BR
Appears in Collections:Trabalhos apresentados em Congresso no Brasil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GT5AnaisXV.pdf3.58 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons