Please use this identifier to cite or link to this item: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/1017
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSantos, Nádia Bernuci dos-
dc.date.accessioned2019-06-17T14:34:41Z-
dc.date.available2019-06-13-
dc.date.available2019-06-17T14:34:41Z-
dc.date.issued2019-03-28-
dc.identifier.urihttp://ridi.ibict.br/handle/123456789/1017-
dc.description.abstractThis thesis investigates the gender differences in the use and appropriation of Information and Communication Technologies (ICT), considering that preferences and patterns of behavior about technology are influenced by processes of socialization, identity and skills since childhood. The so-called Information Society has historical and cultural problems of women's access and participation, especially in the fields of production and management domains. This model is involved in the critical debate about women in Science and Technology. It presents the feminist perspective of Science and Technology, in its main lines of thought, namely: history of science and feminism radical (or ecofeminist), socialist and liberal. The mutual construction of technology and gender is considered to deal with the environments formed by sociotechnical networks, where inequalities and conflicts arise due to the symbolic and identitary impression of gender in ICT. In this sense, women have low participation in the production of technological products, not seeing themselves represented nor seeing their values and expectations reflected. To raise the female experience in the use of ICT, one of the resources of Information Science is in the area of studies of uses and users of information, especially the sense-making approach, which illuminates the meaning attributed by users of information systems in the face of a situation, problem or need. Then, it presents the digital division of gender, that is, the aspects of digital exclusion of women and how it manifests in the Brazilian context. About access to ICT (and Internet), we sought to question the differentiated experiences between women and men that offers differents opportunities and challenges according to gender. Through the concept of Media and Information Literacy (MIL), it seeks to understand the impacts of skills and competences in the use of ICTs for the transformation or reinforcement of gender inequalities. With the survey of cyberfeminist practice or feminist activism in the digital age, it identifies the insertion of the Internet into the Brazilian feminist movement. The empirical research was carried out in the school environment of Colégio Pedro II; a multicultural and socioeconomically plural environment. After observation in a women's programming workshop (Rails Girls), identifies some questions about building technical competence in the development of information systems and the male domain in the area of Information Technology. With this inspiration, the instruments of research in Colégio Pedro II were: semi-structured interviews with teachers (of both sexes) of different disciplines and students (of both sexes) of the 2nd and 3rd year of High School, when professional career decision is made; and observation and registration of elements of the physical environment on the proposed issues. In the analysis of the data, it is important to note that the digital division of gender is due to different experiences of ICT learning; argues that gender discrimination impacts on the perception of competencies and career choices; and illustrates the movements of the school community to seek representations in terms of gender, race and class and to combat harassment and gender violence.pt_BR
dc.description.provenanceSubmitted by Priscilla Araujo (priscilla@ibict.br) on 2019-06-17T14:34:41Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Nadia_Doutorado_2019.pdf: 2444885 bytes, checksum: 15d3fd3c567f57c763b055749259fb36 (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-06-17T14:34:41Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Nadia_Doutorado_2019.pdf: 2444885 bytes, checksum: 15d3fd3c567f57c763b055749259fb36 (MD5) Previous issue date: 2019-03-28en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherInstituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCiência da informaçãopt_BR
dc.subjectTecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e gêneropt_BR
dc.subjectFeminismo e tecnologiapt_BR
dc.subjectMulheres – condições sociaispt_BR
dc.subjectCompetência no uso de Tecnologias de Informação e Comunicaçãopt_BR
dc.subjectAlfabetização Midiática e Informacionalpt_BR
dc.subjectDivisão digitalpt_BR
dc.subjectAmbiente escolarpt_BR
dc.subjectInformation and Communication Technologies (ICT) and Genderpt_BR
dc.subjectFeminism and Technologypt_BR
dc.subjectWomen – social conditionpt_BR
dc.subjectICT literacypt_BR
dc.subjectMedia and Information Literacypt_BR
dc.subjectDigital dividept_BR
dc.subjectSchool environmentpt_BR
dc.subjectInformation Sciencept_BR
dc.titleDiferenças de gênero na apropriação das Tecnologias de Informação e Comunicação: um olhar a partir do ambiente do ensino médio do Colégio Pedro IIpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0126433952926260pt_BR
dc.contributor.advisor1Olinto, Gilda-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9123225715599547pt_BR
dc.contributor.referee1Dantas, Regina Maria Macedo Costa-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5373756688550990pt_BR
dc.contributor.referee2Sugahara, Sonoe-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/0506268367509690pt_BR
dc.contributor.referee3Mallmann, Patrícia-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/1325151429029790pt_BR
dc.contributor.referee4Marteleto, Regina-
dc.contributor.referee4Latteshttp://lattes.cnpq.br/6352285207676599pt_BR
dc.contributor.referee5Bezerra, Arthur Coelho-
dc.contributor.referee5Latteshttp://lattes.cnpq.br/1359214991662158pt_BR
dc.description.resumoInvestiga as diferenças de gênero no uso e apropriação das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), considerando que preferências e padrões de comportamento em relação à tecnologia são influenciados por processos de socialização, identidade e competências desde a infância. A chamada Sociedade da Informação tem problemas históricos e culturais de acesso e participação feminina, principalmente nos domínios de produção e gerenciamento. Esse padrão está ancorado no debate crítico sobre a mulher na ciência e tecnologia. Apresenta-se, então, a perspectiva feminista da C&T, em suas principais linhas de pensamento a saber: história da ciência e feminismos radical (ou ecofeminista), socialista e liberal. A construção mútua de tecnologia e de gênero é considerada para tratar dos ambientes formados por redes sociotécnicas, onde surgem desigualdades e conflitos pela impressão simbólica e identitária de gênero nas TIC. Nesse sentido, as mulheres têm baixa participação na produção dos produtos tecnológicos, não se vendo representadas e nem verem seus valores e expectativas neles. Para levantar a experiência feminina no uso das TIC, um dos recursos da Ciência da informação se dá na área de estudos de usos e usuários da informação, especialmente a abordagem sense-making, que ilumina o sentido dado por usuárias(os) de sistemas de informação diante de uma situação, problema ou necessidade. Em seguida, apresenta a ideia de divisão digital de gênero, ou seja, os aspectos da exclusão digital das mulheres e de que forma se manifestam no contexto brasileiro. Para além do acesso às TIC (e da Internet), buscou-se questionar as experiências diferenciadas entre mulheres e homens que alteram as oportunidades e desafios de acordo com gênero. Pelo conceito de Alfabetização Midiática e Informacional (Ou Media and Information Literacy), busca compreender os impactos das habilidades e competências no uso das TIC para a transformação ou reforço das desigualdades de gênero. Com o levantamento da prática ciberfeminista ou ativismo feminista na era digital, identifica a inserção da Internet no movimento feminista brasileiro. A pesquisa empírica se deu no ambiente escolar do Colégio Pedro II; um ambiente multicultural e socioeconomicamente plural. A partir da observação em uma oficina de programação para mulheres (Rails Girls), identifica algumas questões sobre construção de competência técnica no desenvolvimento de sistemas de informação e o domínio masculino na área de Tecnologia de Informação. Com essa inspiração, os instrumentos de pesquisa no Colégio Pedro II, foram: entrevistas semi-estruturadas com professores (de ambos os sexos) de diferentes disciplinas e alunos (de ambos os sexos) do 2º e 3º ano do Ensino Médio, fase escolar de decisão de carreiras profissionais a seguir; e observação e registro de elementos do ambiente físico sobre as questões propostas. Destaca, na análise dos dados, que a divisão digital de gênero se dá pelas diferentes experiências de aprendizagem das TIC; sustenta que as discriminações de gênero impactam na percepção das competências e nas escolhas de carreira; e ilustra os movimentos da comunidade escolar em buscar representações em termos de gênero, raça e classe e combater assédios e violências de gênero.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciência da Informaçãopt_BR
dc.publisher.initialsIBICT/UFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAOpt_BR
Appears in Collections:Teses e Dissertações do PPGCI IBICT-UFRJ

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Nadia_Doutorado_2019.pdf2,39 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons